segunda-feira, 5 de junho de 2017

15ª Semeia leva deputados estaduais para discutirem desmatamento no Sertão do Pajeú

Com o tema “Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido”, uma Audiência Pública irá movimentar a cidade de Afogados da Ingazeira e municípios vizinhos do Sertão do Pajeú, na próxima terça-feira (06), às 8h30. O evento, que acontece no Cine Teatro São José, será marcado com a presença dos deputados estaduais Edilson Silva (PSOL) e Odacy Amorim (PT), convidados pelas organizações da sociedade civil. 

De acordo com os organizadores, este será um momento histórico para a região, com a presença de deputados escutando da população e sociedade civil as reivindicações diante da situação de degradação ambiental em que se encontra o bioma caatinga. Dentre as principais degradações, estão: a devastação das matas ciliares; a seca das fontes de água; a falta de tratamento adequado do lixo, e o desmatamento descontrolado da caatinga através das queimadas e da extração ilegal de madeira, que trazem consequências desastrosas para a vida humana e as diversas espécies animais e vegetais.

A programação faz parte da 15ª edição da Semana do Meio Ambiente (Semeia), uma campanha que busca conscientizar a população sobre a importância da manutenção do bioma Caatinga como fundamental para a preservação da vida, além de estimular o combate aos crimes contra o meio ambiente, mostrando os principais espaços seguros para denunciar.

Além da Audiência Pública que se encerra com uma caminhada até a ponte do Rio Pajeú, a SEMEIA conta com mais dois importantes eventos. O primeiro é um seminário em Tabira, debatendo o desmatamento e os impactos da devastação da caatinga na vida das mulheres, realizado pela Casa da Mulher do Nordeste. O outro evento acontece no sábado (10), com o aniversário da Feira Agroecológica de Serra Talhada (FAST): a comemoração é organizada pelas próprias agricultoras e agricultores assessorados pelo CECOR, com apresentações culturais, oficinas, exposições e distribuição de mudas.

Organizada inicialmente pela Diaconia, a Semeia atualmente é realizada por diversas organizações e representantes da sociedade civil. Casa da Mulher do Nordeste, Centro Sabiá, CECOR, ADESSU Baixa Verde, Universidade Federal Rural (UFRPE), sindicatos e associações de agricultores/as são algumas das entidades parceiras.

------------------------------------------------------------------------
Confira a programação completa:

06.06 - Afogados da Ingazeira
Audiência Pública "Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido"
Local: Cine Teatro São José
Hora: 8h30

COMPOSIÇÃO DA MESA (Deputados, Prefeitos, Organizações)
CONTEXTO AMBIENTAL DO PAJEÚ  (Professor Genival Barros da UFRPE)
Resgate da luta do Grupo "Fé e Política" sobre o enfrentamento ao desmatamento no Pajeú – Padre Luizinho
PLENÁRIA (10 a 15 falas - 3 min por pessoa). Os participantes podem entregar propostas ou denúncias aos deputados, durante ou após as falas.
FALAS DOS DEPUTADOS QUE COMPÕEM A COMISSÃO PARLAMENTAR
CAMINHADA ATÉ A PONTE SOBRE O RIO PAJEÚ

08.06 - Tabira
Seminário: O desmatamento e os impactos na vida das mulheres 
Realização: Casa da Mulher do Nordeste e Centro Sabiá
Local: Espaço Araras, em Araras - Tabira.

8h30 – Abertura;
10h – Mesa-debate: O Desmatamento e os impactos na vida das mulheres, com Riva Almeida (Centro Sabiá), Lorena Moraes (UAST/UFRPE), Sara Rufino (Casa da Mulher do Nordeste), representantes da Rede de Mulheres Produtoras do Pajeú e da Diaconia.
10h30 - Experiência de vida da agricultora Bernadete de Ingazeira
11h – Grupos de Trabalhos: Quais as estratégias que as mulheres estão utilizando para minimizar os impactos do desmatamento e o aquecimento global através de suas práticas agroecológicas.
12h - Almoço
14h – Apresentação dos trabalhos em grupos
15h – Avaliação e encerramento com trocas solidárias

10.06 - Serra Talhada
Aniversário da Feira Agroecológica de Serra Talhada 
Realização: FAST
Local: Praça Sérgio Magalhães, Centro - Serra Talhada
Assessoria: ADESSU Baixa Verde, Cecor, Centro Sabiá
Apoio: NEPPAS, UFRPE/UAST, Prefeitura Municipal de Serra Talhada

7h – Abertura
Apresentação do Grupo de Dança Folhas Outonais (Serra Talhada)
7h30 – Café da Manhã Agroecológico
8h – Falas das instituições e coordenação da FAST
Teatro de Rua: Grupo de Teatro Juventude Franciscana (Triunfo)
Oficina: Processamento de Alimentos (Resíduos Vegetais) - UAST
Oficina: Defensivos Naturais – NEPPAS
Exposição de banners: Alimentação Nutricional – UAST
Exposição de Artesanato - Prefeitura Municipal de Serra Talhada
Distribuição de mudas nativas – Prefeitura Municipal de Serra Talhada
9h - Corte do Bolo
10h – Bingo

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Agricultoras e agricultores divulgam programação dos 17 anos da Feira Agroecológica de Serra Talhada


Agricultoras e agricultores da Feira Agroecológica de Serra Talhada – FAST – estão preparando programação especial para comemorar os 17 anos de fundação da feira, um espaço de resistência e afirmação da Agroecologia como alternativa viável para transformar a vida das famílias do Semiárido. As comemorações acontecerão no dia 10 de junho corrente, a partir das 6 horas, na Praça Sérgio Magalhães, centro, Serra Talhada. O evento está dentro das atividades da Semana do Meio Ambiente – SEMEIA 2017, no Sertão do Pajeú pernambucano, que esse ano trabalha o tema “Caatinga: Guardiã da Vida do Semiárido”.
Atualmente, a FAST conta com agricultoras e agricultores dos municípios de Serra Talhada, Triunfo e Santa Cruz da Baixa Verde que comercializam diversos tipos de alimentos totalmente agroecológicos. Os alimentos são produzidos nos quintais produtivos dos agricultores e agricultoras, sem o uso de agrotóxicos. Nas comemorações, também haverá apresentação de um grupo de dança, teatro e oficinas de processamento de alimentos e de defensivos naturais, entre outras atividades.
Além de verduras, frutas e legumes fresquinhos e saudáveis, são comercializados doces, polpas de frutas, compotas, galinha de capoeira abatida, caldo de cana, bolos, temperos e remédios caseiros. Os frequentadores ainda aproveitam para saborear lanches saudáveis e muita comida caseira. A festividade conta com a parceria das instituições de assessoria técnica, entre elas a ADESSU Baixa Verde, Cecor e Centro Sabiá, além do apoio da UFRPE/UAST, NEPPAS e Prefeitura Municipal de Serra Talhada.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

ADESSU Baixa Verde no combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes

Por Jéssica Freitas - comunicadora da ADESSU Baixa Verde
e Rosilene Moraes - coordenadora do projeto apoiado pela KNH/Alemanha



A ADESSU Baixa Verde fez bonito, e em articulação com vários parceiros, levou nesta quinta-feira (08) a Campanha FAÇA BONITO – Proteja nossas crianças e adolescentes, para o município de Santa Cruz da Baixa Verde, onde atua. O 18 de Maio – Dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes foi vivenciado com uma mobilização social pelas principais ruas da cidade e falas políticas de alguns detentores de deveres. O objetivo foi sensibilizar e convocar toda sociedade e o poder público para assumirem a responsabilidade de prevenir e enfrentar o problema da violência sexual praticada contra crianças e adolescentes. As escolas municipais e estaduais tiveram uma participação ativa no evento e transmitiram sua mensagem de repúdio ao abuso e à exploração sexual através de teatro, música, paródia, poema, repente e hap.

O evento foi uma realização da ADESSU Baixa Verde, com o apoio da KNH Alemanha, em parceria com Escolas Municipais e Estaduais, Secretarias de Educação, de Desenvolvimento Social, de Saúde e de Agricultura, NASF, Serviço de Convivência, Programa Mãe Coruja, Casa Ana, Centro Sabiá, Câmara de Vereadores, NUCA, Conselho Tutelar, COMDESC, Sindicato dos Trabalhadores e trabalhadoras Rurais e Encontro de Jovens com Cristo-EJC.

Como encaminhamentos práticos do ATO PÚBLICO, a ADESSU Baixa Verde solicitou ao prefeito do município, Tássio José Bezerra dos Santos, as seguintes providências:

1.      Reativação do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, órgão de caráter deliberativo e paritário, previsto na lei no 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), como órgão responsável pela formulação e coordenação da política municipal de direitos para as crianças e adolescentes.

2.      Fortalecimento das ações nas áreas de educação, saúde, proteção e participação social de crianças e adolescentes, tendo em vista a manutenção do SELO UNICEF, conquistado pelo município em 2016.

POR QUE 18 DE MAIO?

Em 18 de maio de 1973, uma menina capixaba de Vitória/ES, foi sequestrada, espancada, estuprada, drogada e assassinada numa orgia imensurável. Seu corpo apareceu seis dias depois, desfigurado por ácido. O crime permanece impune.  Após forte mobilização, o movimento em defesa de crianças e adolescentes conquistou a aprovação da Lei Federal 9.970/2000 que instituiu essa data como o dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. O dia 18 de maio foi instituído como dia para as lutas e mobilizações de enfrentamento ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil. 

A SUA ATITUDE PODE AJUDAR A MUDAR OS ÍNDICES DE VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM NOSSO PAÍS.


#FAÇA BONITO












quarta-feira, 3 de maio de 2017

Casa da Mulher do Nordeste inaugura 10 quintais produtivos no Sertão do Pajeú

Por Emanuela Castro, da Casa da Mulher do Nordeste

Nas últimas semanas a CMN percorreu sete municípios do Sertão do Pajeú para inaugurar os quintais produtivos de agricultoras assessoradas pela instituição. Ao todo foram 10 mulheres que receberam melhorias em suas comunidades para a produção, apesar do período de estiagem prolongada. Essa iniciativa faz parte do Projeto 15.282 de Implantação e Expansão de Quintais Produtivos patrocinado pela Fundação Banco do Brasil, executado pela CMN.

As mulheres receberam tela para estruturar seus quintais produtivos, especial para as áreas da criação de galinhas e da produção de hortaliças e plantas medicinais. Além disso, receberam alguns equipamentos, como forrageiras, enxada, pá, bombas, canos e mangueiras para ajudar no sistema de aguação, entre outros. “Para as mulheres essa melhoria veio em um bom momento, agora elas possuem um local propicio para a criação de galinhas. E com o cercado da horta, elas conseguem delimitar o espaço para que outros animais não tenham acesso. Verificamos um aumento na diversidade de cultivos nos quintais através das trocas de sementes e plantas”, conta Eliane Rocha, técnica educadora da CMN que está realizando a assessoria às mulheres.

Outro destaque durante as inaugurações foram as trocas de saberes e de produtos, puderam conhecer as experiências de cada uma que se envolveu no projeto. “Gostei bastante da inauguração, conheci outras mulheres e trocamos bastante. Agora tenho pimenta, coentro, alface, tomate, hortelã, cidreira, milho verde. Com tudo isso não preciso comprar mais verduras com agrotóxico”, disse a agricultora Marilene Silva, 43 anos, da comunidade de Poço Redondo, município de Tabira. Ela conta que o acesso à água é difícil, mas com a aquisição da bomba vai facilitar o trabalho. “Antes tinha que ir pegar água com carro de boi para aguar as plantas. E agora que está chovendo, a bomba vai poder puxar a água de um barreirinho que tenho aqui perto”, completou. Ela só possui uma cisterna de 16 mil litros para consumo próprio, mas não para produção.

Todas as mulheres fazem parte de algum grupo organizado de mulheres, e por este motivo, a forrageira que adquiriram com o projeto será usada pelo coletivo, contribuindo para a alimentação de pequenos animais. A sororidade entre as mulheres e a aposta na auto-organização das mulheres é uma das prioridades no trabalho desenvolvido pela Casa da Mulher do Nordeste. “Faço parte do grupo de mulheres Renascer, da comunidade de Açude da Porta, e esse projeto beneficiou a todas nós com o uso da forrageira que será usado por todas. Também já deixei de comprar alface, coentro, cebolinha com agrotóxico. Agora produzo meu próprio alimento, e a alimentação da minha família melhorou bastante.  Onde criava as galinhas era bem apertado, com o novo espaço vou poder criar mais e agora elas tem até bebedouro”, relatou a agricultora Maria Sineide Silva, 40 anos,  do sítio de Macambira, São José do Egito.


O projeto está sendo desenvolvido nos municípios de Santa Cruz da Baixa Verde, Flores, Afogados da Ingazeira, Tabira, Ingazeira, São José do Egito e Itapetim. Como contrapartida, as mulheres tiveram que apoiar com a instalação das telas, as estacas e o ajudante para o pedreiro construir o galinheiro. O projeto terá continuidade até o final deste semestre, onde as agricultoras continuam a receber a assessoria técnica da CMN para uma melhor convivência com o semiárido. 

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Organizações do Sertão do Pajeú aderem à greve geral pela defesa dos direitos da classe trabalhadora

Por Jéssica Freitas - Comunicadora da ADESSU Baixa Verde


Manifestação em Serra Talhada
Nesta sexta-feira (28/04), o Brasil foi palco de uma greve geral e manifestações de trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias contra as reformas trabalhista e da Previdência, propostas pelo governo de Michel Temer (PMDB). 

A ADESSU Baixa Verde aderiu à greve, além de participar de um grande ato público realizado na cidade de Serra Talhada, Sertão do Pajeú pernambucano. Membros da sociedade civil e do poder público, como agricultores e agricultoras, organizações sociais, Movimentos estudantis, associações comunitárias, sindicatos, comerciantes, grupos religiosos, escolas públicas e privadas, percorreram as principais ruas com faixas, cartazes e bandeiras em manifestação contra a retirada de direitos da classe trabalhadora.

A manifestação foi encerrada com uma audiência pública na Câmara de Vereadores, onde foram debatidas as consequências negativas das reformas para a vida dos trabalhadores e trabalhadoras. Na ocasião, vereadores que se dizem contrários as reformas fizeram falas de protesto, acompanhados de membros de organizações sociais e sindicais, que apresentaram dados da arbitrariedade imposta pelo aumento da idade mínima e do tempo de contribuição. 

Convocada em todo o país, a greve geral também foi motivada pela aprovação do texto base da reforma trabalhista na última quarta-feira (26). São mais de 100 mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), propostas pelo Governo e aprovadas pela Câmara dos Deputados. O teste segue pra votação no Senado.

Ouricuri adere a Greve Geral

                                                                                    Por Kátia Rejane - Comunicadora do Caatinga
Na manhã, desta sexta feira, as principais ruas de Ouricuri, no sertão do Araripe Pernambucano, foram tomadas por centenas de manifestantes, que aderiram a agenda de luta nacional, Greve Geral, em todo o Brasil, contra as reformas da previdência e reforma Trabalhista.
O Sindicato dos Servidores públicos de Ouricuri (SINDSEP), Sindicato de Trabalhadores Rurais de Ouricuri, Federação dos Trabalhadores de Pernambuco (FETAPE), junto com Fórum de Mulheres do Araripe, Grupo de Mulheres Jurema,Sindicato dos Servidores da Saúde (SINDSAÚDE), Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência ( SIDSPREV), Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEP), Movimento Sem Terra (MST),  Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), e organizações de Base e de Apoio a agricultura familiar, além de Organizações dos municípios de Santa Cruz e Trindade realizaram, neste dia 28 de Abril, um ato de rua, repudiando as Reformas da Previdência e trabalhista, que visam tirar direitos de trabalhadores/as. 
O ato teve início na Praça, Padre Francisco Pedro da Silva, Praça da prefeitura, e seguiu pela feira livre de Ouricuri, até o semáforo central da cidade. O trânsito parou durante 20 minutos,  várias pessoas fizeram falas, repudiando as reformas, que prejudicará trabalhadores/as, atingindo mais fortemente, os que possuem menores condições financeiras, mulheres, jovens, comunidades tradicionais e agricultores/as familiares serão bastante afetados/as.
Os manifestantes seguiram em caminhada até agência da Previdência social, do município, onde o ato foi encerrado.
Para Analberga Lino, do SINDSEP, esse foi um movimento muito importante para toda a classe trabalhadora. “ Precisamos cada vez mais, ir as ruas dizer não a esse desmonte dos direitos, que atingirá fortemente a classe trabalhadora” Afirmou a professora.
A avaliação por parte da organização do evento, é muito positiva, estima -se que participaram mais de 3.000 pessoas, o que mostra forte adesão da população, ao movimento,  envolvendo diversos seguimentos: Saúde, educação, agricultura familiar, sindicalistas, movimentos sociais, movimentos de mulheres, jovens urbanos e rurais.
Ainda nesta manhã, no sertão do Araripe, aconteceram atos de ruas, nos municípios de Bodocó, com estimativa de participação de 2.000 pessoas, e nos municípios de Exu e Araripina. Além de vários outros municípios do Brasil.